Inscrições abertas – faça já a sua pré-inscrição

Karate


O Karate-Do é uma arte marcial com uma componente desportiva que poderá ser praticado por crianças e jovens numa óptica de formação e desenvolvimento, assim como com o objectivo posterior de participar em competições, como método de defesa pessoal ou meramente como arte de movimento e expressão corporal.

Permite desenvolver as qualidades psicomotoras dos seus praticantes, tendo como características a dureza, a força, a flexibilidade e a resistência, coordenadas pela capacidade de autocontrolo e concentração.

Nascido na ilha de Okinawa, no Japão, Karate-Do significa «a via das mãos vazias», existindo no seu seio várias formas de o praticar. Sendo o Goju-Ryu um dos seus estilos mais antigos, este caracteriza-se pelo seu carácter defensivo e contra-ofensivo, baseando-se tanto na força e na dureza (Go) como na flexibilidade e na suavidade (Ju), procurando uma alternância entre estes dois métodos.

Possuidor de deslocamentos de média amplitude e de posições relativamente altas, baseadas no estudo de posturas de animais, o Goju-Ryu é tanto estático como bastante rápido e fluido, usando um sem número de defesas, esquivas, ataques e até projecções ao solo, tornando-se adaptável a indivíduos de ambos os sexos, seja qual for a sua idade.

Este estilo insiste particularmente na importância de um treino bastante duro, destinado a forjar o carácter dos seus praticantes e a capacidade de suportarem esforços muito intensos, incutindo-lhes o espírito de superar as dificuldades que lhes surjam pela frente. Assim, sem dar conta, o jovem praticante molda o seu espírito para um mais paciente e persistente perante os desafios que surjam não só dentro do Dojo (local de prática) mas também na vida diária.

Do programa técnico do Goju-Ryu Karate-Do consta o Khion – execução de técnicas em posição parada ou o seu encadeamento com a posterior combinação com deslocamentos; as Kata - formas, encadeamentos de ataques, defesas codificados pelos antigos mestres; e o Kumite - dito combate - que é a aplicação real e prática dos movimentos técnicos em ambiente controlado.

Inglês


É no jardim de infância que as crianças desenvolvem competências cruciais no processo de aquisição de uma segunda língua.

O projeto da Know How para as aulas de Inglês no jardim de infância é um projeto de sensibilização para a aprendizagem da língua inglesa de forma gradual e motivadora através de atividades lúdicas.

Os principais objetivos no ensino do Inglês são:

  • motivar as crianças para a aprendizagem da língua;
  • construir estruturas, desenvolver capacidades, preparando a criança para futuros desafios da aprendizagem da Língua, nomeadamente ao nível curricular do 1ºciclo;
  • incutir em cada criança uma atitude positiva em relação à aprendizagem de línguas e outras culturas, fazendo com que o seu primeiro contacto com a segunda língua seja tão agradável e estimulante quanto possível.

O nosso método de ensino da língua inglesa estimula a curiosidade e o interesse de cada criança através de aulas dinâmicas e motivantes que mantêm a curiosidade das crianças, permitem o seu desenvolvimento global, fomentam a necessidade de comunicar e proporcionam uma relação positiva com a aprendizagem.

O caráter lúdico das nossas aulas assenta em atividades que requerem predominantemente o uso da expressão oral, trabalhando simultaneamente as competências linguísticas verbais, auditivas e de expressão corporal. Exemplo destas atividades são a aprendizagem de canções e lengalengas acompanhadas de coreografias e mímicas, a hora do conto e sua dramatização e a utilização de jogos.

O material utilizado para a realização destas atividades é bastante apelativo como por exemplo o uso de posters e autocolantes, cartões coloridos, dados de grandes dimensões e o manuseamento das personagens das histórias em fantoches e cenários. Utilizamos também material interativo como CD de jogos e canções e DVD com pequenos filmes sobre os conteúdos programáticos propostos.

O nosso plano de estudos é elaborado de acordo com as temáticas que representam o essencial do mundo da criança nesta faixa etária: os números e as cores, os brinquedos, as partes do corpo e o vestuário, a família, a comida e os animais. Também é feita a articulação com o plano anual de atividades da educadora, nomeadamente ao nível da celebração de festividades como o Halloween, o Natal, o dia do pai, a Páscoa, o dia da mãe e o dia da criança.

Música


A música faz parte da vida de todos os seres humanos de uma forma mais ou menos intensa. Crescemos acompanhados de sons, peças musicais e canções que chegam a marcar determinados acontecimentos e situações.

A música desenvolve capacidades tão variadas e necessárias como a concentração, memorização, criatividade e coordenação motora, bem como todo um conjunto de conhecimentos e conceitos musicais que são a base para a criação de uma cultura musical nas crianças.

As atividades musicais na CEBE são realizadas de forma cativante, divertida e dinâmica. O objectivo primordial é despertar o gosto e interesse pela música criando condições para um desenvolvimento musical ao nível da expressão, linguagem e musicalidade.

Música para bebés

Atividades direcionadas para as crianças da creche, tendo como objectivos:

  • Cantar - interpretar e acompanhar vocalmente diversas canções;
  • Tocar - acompanhar peças musicais e canções interpretando diversos instrumentos;
  • Escutar - identificar e apreciar canções, peças musicais e sons variados;
  • Dançar - dança ou movimento coordenado consoante as canções, peças musicais e sons escutados.

Brincar aos músicos

Atividades direcionadas para as crianças do Pré-escolar (3-5 anos) tendo como objectivos:

  • Cantar - interpretar e acompanhar vocalmente diversas canções, reproduzir e produzir diferentes formas de ritmos e sons;
  • Tocar - acompanhar peças musicais e canções interpretando diversos instrumentos de altura definida e indefinida, convencionais e não convencionais;
  • Escutar - identificar e apreciar canções, peças musicais e sons variados (convencionais e não convencionais);
  • Dançar - Dançar adequando o movimento aos sons escutados, expressar e criar livremente movimentos ao som de música, criar e aprender formas de movimento que representem a forma de sentir a música, desenvolver o sentido de trabalho de grupo (danças de roda);
  • Criar – inventar sons, ritmos, melodias e movimentos de forma livre ou direccionada.

Flauta e Guitarra

Atividades direcionadas para crianças do 1º ciclo, que pretendam aprender a tocar estes instrumentos. O objectivo é saber interpretar peças musicais nestes instrumentos desenvolvendo as seguintes competências:

  • Pegar correctamente no instrumento, posicionar correctamente mãos e dedos para a produção das notas musicais;
  • Realizar exercícios de técnica do instrumento;
  • Interpretar peças musicais (individualmente e em conjunto) com aumento gradual de dificuldade;
  • acompanhar outros instrumentos;
  • ler peças musicais (leitura não convencional e convencional).

Dança


É no corpo que se inscreve todo o património das vivências individuais e é também nele que pomos em diálogo tudo o que já sabemos com o que está por vir. Partindo deste pressuposto, as aulas de dança têm por objectivo estimular os participantes na descoberta do próprio corpo no âmbito das suas potencialidades expressivas e criativas em relação com o universo da criança.

No trabalho de continuidade dedicado a esta disciplina, os alunos serão orientados por via de um conjunto de exercícios lúdicos com o intuito de desenvolver a coordenação motora, a tradução do pensamento em movimento, bem como as suas ferramentas relacionais postas em prática no diálogo constante com o Outro.

Na vertente do trabalho de construção coreográfica inerente a todo processo de aprendizagem da disciplina da dança, as sessões dedicadas à composição de movimento possibilitam a exploração dos gestos espontâneos do indivíduo na criação de enunciados, a solo ou em grupo, como forma de estimular a memória física e o ritmo do próprio corpo a evoluir no espaço e no tempo.

Objectivos gerais

  • Estimular as qualidades perceptivas por via dos processos físicos, emocionais e cognitivos
  • Desenvolver ferramentas específicas em técnicas de dança
  • Questões de espaço próprio e espaço comum
  • Noções de tempo e de ritmo
  • Aumentar a auto estima
  • Desenvolver a concentração
  • Fomentar a criatividade
  • Promover a entreajuda
  • Fomentar o espírito crítico
  • Oferecer um espaço de descoberta

Conteúdos gerais

Princípios relacionados com o corpo
  • Preparação do corpo
  • Respiração
  • Equilíbrio
  • Apoios
  • Dinâmica postural
  • Orientação espacial
Princípios relacionados com o movimento criativo
  • O que é coreografar
  • O que pode ser entendido por matérias coreografáveis
  • Como gerar material para a composição de movimentos
Processos do desenvolvimento formal em dança
  • Do universo da criança para o movimento dançado
  • Improvisação
  • Composição coreográfica
  • Material de repertório
  • Questões de organização espacial
  • Apresentação informal de materiais

Xadrez


História do Xadrez

O xadrez é um dos jogos de tabuleiro mais famosos da atualidade. Acredita-se que cerca de 605 milhões de pessoas em todo o mundo o praticam, destas, 7,5 milhões são filiadas a federações de mais de 160 países. A história do xadrez é um dos temas mais controversos entre os historiadores. Não são poucas as teorias que tentam explicar como o jogo surgiu e até contos mitológicos são associados à criação do mesmo.

A hipótese mais credível é a de que a história do xadrez se tenha iniciado na Índia, por volta do século VI. O jogo primitivo era chamado de “chaturanga”, uma palavra que significava algo como “a disputa do exército”. Devido às viagens dos comerciantes indianos, este acabou por se espalhar pela Pérsia e até mesmo pela China.

Após a conquista da Pérsia pelos árabes durante o século VII, ocorreu uma grande assimilação do jogo pelos islâmicos, os quais, acabaram por valorizá-lo e difundindo-o pelo norte da África. Foi a partir daí que o xadrez chegou à Europa.

Benefícios do Xadrez

Xadrez é jogado todos os dias por todo o mundo e faz com que pessoas de culturas e experiências diferentes se juntem. Os principais benefícios de jogar xadrez são:

  • Une as pessoas
  • Ensina a vencer e a perder
  • Ajuda a concentração
  • Desenvolve criatividade
  • Promove confiança
  • Desenvolve capacidades de resolução de problemas
  • Exercita o cérebro
  • Ajuda a permanecer calmo

SIGA-NOS!